White Hack - Gestão de Vulnerabilidade e LGPD

5 Dicas de Segurança para Servidores

Dicas de Segurança para Servidores

Ao organizar a infraestrutura da sua empresa, em muitos casos, colocar os aplicativos em funcionamento é a sua primeira consideração. No entanto, se esses aplicativos não funcionarem adequadamente e não atenderem aos requisitos de segurança de seus servidores, isso pode causar consequências catastróficas no futuro.

A segurança de dados é um dos assuntos cada vez mais frequentes e importantes para as empresas. Nos últimos meses vimos uma mudança gigantesca sem comparações com qualquer outra situação da humanidade.

Com o surgimento da internet e a disseminação dos dispositivos móveis, começamos a produzir uma quantidade significativa de dados e informações todos os dias.

De acordo com uma estimativa levantada pela IDC, a produção de dados ao redor do mundo dobra a cada dois anos e, em 2020 essa produção já chegou à marca de 35 trilhões de gigabytes.

Atualmente esses dados são o bem mais valioso de uma empresa e estão divididos em produtos e processos internos, dados de clientes e inteligência competitiva. Por isso, é essencial protegê-los para a sua empresa e para seus clientes.

Sendo assim, neste artigo vamos mostrar como você pode proteger seus dados e servidores. Confira!

O que é a segurança de dados?

Todo empenho de segurança da informação passa pela ideia de evitar que pessoas mal-intencionadas tenham acesso a um determinado dado. Entretanto, como você viu acima, o que sua empresa tem de mais valioso são os dados.

Tanto informações dos clientes e instruções de como executar os seus produtos precisam ser guardados com a máxima segurança para prevenir os problemas. Alguns problemas de segurança enfrentados são:

  • Criar uma área de segurança ao redor da infraestrutura de informações da empresa (física e digitalmente);
  • Vazamento de dados por funcionários da empresa;
  • Tentativas de invasão por hackers;
  • Backup de dados para que sejam recuperados rapidamente;
  • Manter todas as informações íntegras;

Sendo assim, manter a segurança de servidores e dados não é uma disciplina fácil de se aprender e sim, a união de várias ações que quando combinadas permitem que a sua empresa trabalhe com mais segurança no universo digital.

5 dicas de segurança para proteger servidores

Agora que você já sabe como é importante a segurança de dados nas empresas confira abaixo algumas maneiras de proteger melhor os servidores da sua empresa.

1.    Chaves SSH

A chave SSH é composta por um par de chaves criptografadas que podem ser usadas para se autenticar em um servidor. Ela funciona como opção aos logins com senha. Sendo assim, o par de chaves SSH é criado antes da validação.

Essa chave deve ser mantida em segredo e segura pelo usuário, enquanto a chave pública pode ser compartilhada com qualquer pessoa.

A configuração para ativação e desativação da chave SSH é realizada por meio de uma senha. Normalmente esse tipo de chave possui mais bits de dados do que uma senha comum, isso mostra que há mais combinações possíveis que um hacker teria que executar.

Geralmente os algoritmos de chaves SSH são vistos como inquebráveis por hardwares modernos, pois necessitam de muito tempo para encontrar combinações possíveis.

Portanto, tente acessar sua aplicação para fazer alterações e updates sempre utilizando chaves SSH e as troque periodicamente para evitar vazamentos. Já para o usuário final, force o uso de dupla autenticação por app ou SMS.

Veja algumas dicas de segurança

2.    Firewall

O firewall é uma parte do software ou hardware que organiza quais os serviços serão enviados para a rede. Isso quer dizer que muitas portas serão restringidas e bloqueadas exceto aquelas que precisam estar publicamente disponíveis.

Como você deve saber os firewalls são uma peça fundamental das configurações de um servidor. Apesar de por si só seus serviços já implementarem funcionalidades de segurança elas ficam restritas às especificações que você deseja que sejam executadas, o firewall serve então como uma camada extra de proteção.

Com o firewall configurado de forma correta ele irá bloquear o acesso a tudo, exceto os serviços personalizados que você necessita manter aberto. Dessa maneira, há a exposição apenas de algumas peças de software que reduz a margem de ataque ao servidor, limitando assim os componentes disponíveis e vulneráveis à exploração.

E lembre-se, um firewall mal configurado pode deixar brechas para invasões na sua rede, não fornecendo a segurança para os servidores necessária.

3.    Redes privadas e VPNs

As redes privadas são aquelas redes que estão disponíveis apenas para alguns servidores ou usuários. Em algumas situações a rede está disponível apenas em alguns locais com uma rede de data center.

Uma VPN ou rede privada virtual é uma forma de criar uma conexão segura entre computadores remotos e exibir a conexão como uma rede privada local. Isso fornece uma maneira de configurar serviços como se estivessem em uma rede privada e se conectarem a um servidor remoto por meio de uma conexão segura.

4.    Infraestrutura de chave pública SSL/TLS

Uma infraestrutura de chave pública, ou PKI, refere-se a método desenvolvido para criar, gerenciar e validar certificados para identificações de usuários e criptografia de comunicação.

Tanto os certificados SSL quanto TLS podem ser utilizados na autenticação de diferentes instituições entre si. Depois dessa certificação, a infraestrutura ainda pode ser utilizada para criptografar canais de comunicação.

Ao garantir uma autoridade na certificação e gerenciamento dos certificados de seus servidores ela permite que a organização dentro de uma infraestrutura valide a igualdade de outros membros e criptografe seu acesso.

Essa opção previne ataques do tipo man-in-the-middle onde um hacker imita o servidor de infraestrutura para interceptar acessos.

Cada servidor é configurado para confiar em uma autoridade centralizada de certificação. Futuramente qualquer certificado que essa autoridade emita pode ser confiável.

Se o aplicativo e o protocolo que você usa para comunicação oferecer suporte à criptografia SSL / TLS, essa é uma maneira de criptografar o sistema sem aumentar a sobrecarga do túnel VPN (que geralmente também usa SSL internamente).

5.    Auditoria de serviços

A última dica de segurança que usamos para melhorar a segurança do servidor é a auditoria de serviço. Como a maior parte da segurança do servidor está focada no sistema de análise, aprenda mais sobre a superfície de ataque disponível e elimine o acesso o máximo possível.

Sendo assim, a auditoria de serviço é um método de descoberta de quais serviços estão sendo utilizados nos servidores da sua empresa. Geralmente, o sistema padrão é editado para realizar alguns serviços já na inicialização.

Porém, o uso de um software adicional pode, muitas vezes causar dependências que também precisaram ser iniciadas automaticamente.

Os servidores começam muitos processos para fins internos e para gerenciar clientes externos. Dessa forma, cada um deles representa uma superfície expandida de ataque para usuários mal-intencionados.

Quanto mais operações você estiver realizando maior a chance de haver uma fraqueza em seu software acessível.

Serviço de Gestão de Vulnerabilidades

Se você gostou destas dicas de segurança para o seu servidor, deixe o seu comentário.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Mais Posts

Prometheus TDS

Prometheus TDS é usado em diversos ataques

Vários grupos cibercriminosos estão utilizando uma solução de Malware-as-a-Service (MaaS) para distribuir uma vasta gama de campanhas de distribuição de software malicioso que resultam na

FLoC: O Novo Rastreador do Google

Os cookies de terceiros (third-party cookies) no Chrome estão sendo desativados. Isso significa que o Google está prestes a desistir de uma grande parte de

Assine a Newsletter